Dá para morrer usando os serviços do Airbnb? A primeira vista pode parecer absurdo, mas já aconteceu e mais de uma vez. Em um longo e interessante texto com o título de “Living and Dying on Airbnb” (traduzido livremente para “Viver e Morrer em um Airbnb”), o escritor Zak Stone relata a trágica história de seu pai, que morreu em um acidente doméstico provocado pela falta de segurança do local onde seu pai se hospedou, uma casa em Austin (Estados Unidos) alugada através do Airbnb.

balanco-na-arvore

Na primeira parte do texto, Zak Stone conta que estava dormindo quando foi chamado às pressas por sua mãe: seu pai estava sangrando no jardim. O pai teria se sentado em um balanço preso à uma árvore, mas a árvore estava morta e o tronco caiu na sua cabeça, provocando sua morte.

No caso do autor foi um balanço no jardim, mas poderia ter sido um ventilador de teto que despenca em cima do sofá onde você está sentado, o aquecedor que explode, ou um eletrodoméstico que pega fogo enquanto você dorme.

O que o Airbnb faz pela segurança dos seus hóspedes?

O principal questionamento de Zak Stone não é em relação a utilidade ou existência de um site como Airbnb, que está revolucionando o conceito de hospedagem no mundo inteiro. E sim sobre o que a empresa faz pela segurança de seus hóspedes.

[quote_box_center]Enquanto a maioria das pessoas põe em dúvida a eventual limpeza ou beleza dos quartos e apartamentos alugados através do Airbnb, muita pouca gente se questiona sobre a segurança. [/quote_box_center]

Os usuários seguem a lógica da confiança na comunidade, afinal os hosts – as pessoas que alugam os apartamentos para temporada – são pessoas como eu e você. Alguém que resolveu alugar um quarto para ter uma renda extra. Gente com boas intenções. Quem vai querer ter um hóspede morto? Mas será que os hosts (principalmente os novos hosts) estão preparados para oferecer imóveis seguros?

Enquanto os hotéis e b&b pelo mundo devem respeitar rígidas normas de segurança impostas pelos estados, os apartamentos de aluguel em geral não passam pelos mesmos controles.

Segundo os dados fornecidos pelo Airbnb, seus serviços atendem a mais de 60.000.000 de hóspedes oferecendo mais de 2.000.000 de acomodações em 190 países. Será que não seria o caso de começar a discutir segurança, já que o conceito básico de hospedagem é ter um lugar seguro onde dormir?

Vale a pena ler o texto original em inglês e parar para refletir. Você já tinha pensado nisso?

2 COMENTÁRIOS

  1. Uau, que bela reflexão! Eu ja fiquei em Airbn, mas somente em ocasiões especias onde hotéis eram muito caros, porque eu acho realmente pouco confiavel.
    Abs.

  2. Oi Deyse, tudo bem?
    Obrigada pela visita. O texto do Zak é realmente uma bomba com uma missão bem louvável: aumentar a segurança das casas e apartamentos alugados. Porque ninguém pensa nisso, nem quem procura hospedagem, nem quem oferece, e talvez nem mesmo o Airbnb e outros sites que oferecem aluguel de casas. A gente não pensa porque teoricamente na nossa cabeça está tudo incluído. Porque acidentes são exceções que não poderiam ser evitados. E não é bem assim, né? Para ficar com os olhos abertos…
    Um abraço para você,

TEM ALGUMA DÚVIDA OU QUER COMPARTILHAR SUA EXPERIÊNCIA?

Please enter your comment!
Please enter your name here